Excelente antibiótico


Amoxicilina é excelente antibiótico indicado no tratamento das infecções causadas por germes sensíveis à ação da amoxicilina, e é contra indicada a pacientes com histórico de reações alérgicas e hipersensibilidade às penicilinas, nos casos de infecções causadas por Staphylococcus penicilino resistentes e as produzidas por bacilo piociânico, ricketsias e vírus.




Qual ação posso esperar do medicamento?

Este medicamento é um anti-biótico usado no tratamento de infecções não complicadas.

Características

Este produto tem como princípio ativo a amoxicilina, quimicamente a D-(-)-alfa-amino p. hidroxibenzil penicilina, uma penicilina semi sintética de amplo espectro de ação, derivada do núcleo básico da penicilina, o ácido 6-amino-penicilânico. Seu nível máximo ocorre uma hora após a administração oral, tem baixa ligação protéica e pode ser administrado com as refeições, por ser estável em presença do ácido clorídrico do suco gástrico. O medicamento é bem adsorvido tanto pela via entérica como pela parenteral. A meia vida da amoxicilina após a administração do produto é de 1,3 horas.

O medicamento não tem ligações proteicas em grande número, aproximadamente 20%. Espalha-se rapidamente nos tecidos e fluidos do corpo, com exceção do cérebro e seus fluidos. Trata-se de um antibiótico semi sintético com um largo espectro de atividade bactericida contra muitos microorganismos Gram-positivos e Gram-negativos. É, todavia, suscetível à degradação por beta-lactamases, e portanto, o espectro de atividade não inclui organismos que produzem estas enzimas.

A amoxicilina é bactericida para uma larga faixa de bactérias, incluindo: streptococcus, espécies de staphylococcus não produtoras de beta-lactamase, pneumococcus, enterococcus, listeria, corynebacteria, clostridia, bacillus anthracis, erysipelothrix e bactérias Gram-negativas, como meningococcus, gonococcus, bordetella pertussis, haemophilus influenzae e parainfluenzae, escherichia coli, proteus mirabilis, salmonella e shigellae.

Precauções

O uso deste medicamento durante a gravidez pode ser considerado apropriado quando o benefício potencial se sobrepõe ao risco potencial associado ao tratamento.Rashes eritematosos (morbiliformes) têm sido associados a febre glandular em pacientes recebendo amoxicilina. Embora o medicamento possa ser administrado durante a lactação, a ampicilina, da mesma forma que outros antibióticos dessa classe, é excretada pelo leite materno; portanto, dever-se ter cuidado quando a amoxicilina é administrada em mulheres que estão amamentando, pois pode provocar no lactente diarréia, condidíase e rash cutâneo. Reações de hipersensibilidade (anafilactoides) sérias e ocasionalmente fatais têm sido relatadas em pacientes recebendo o tratamento com derivados penicilânicos. Estas reações requerem tratamento de emergência com epinefriana. Oxigênio, esteroides intravenosos e assistência respiratória, inclusive intubação, podem ser administrados, conforme a indicação.

A ocorrência de diarréia pode inteferir com a absorção de outros medicamentos e, desta forma, reduzir sua eficácia. Embora a anafilaxia seja mais frequente após o tratamento parenteral, pode também ocorrer em pacientes recebendo o tratamento oral. Estas reações são mais passíveis de ocorrerem em pessoas com histórico de hipersensibilidade à penicilina e ou ainda reações de hipersensibilidade a múltiplos alérgenos. Têm sido relatados casos de pacientes com históricos de hipersensibilidade à penicilina e que tiveram graves reações quando tratados com cefalosporinas.

Antes de iniciar um tratamento com um derivado penicilânico, deve ser realizada uma criteriosa e minuciosa pesquisa do passado alérgico do paciente quanto a reações às penicilinas, cefalosporinas ou a outros alérgenos. Caso ocorra uma reação alérgica, amoxicilina deve ser imediatamente descontinuada e terapêutica adequada deve ser instituída.


"Nunca tome qualquer medicamento por sua própria conta, isso pode ser prejudicial a sua saúde, consulte o seu médico!